•  
  •  

Programação destaca autores baianos e homenageia personalidades


Baixe aqui o release:

 

  

 

Programação destaca autores baianos e homenageia personalidades

 

Reunindo mais de 170 autores dos mais diversos estilos e gêneros literários, a Bienal do Livro da Bahia, que acontece entre os dias 08 e 17 de novembro no Centro de Convenções, em Salvador, contará nesta 11° edição com um grande time de autores baianos. Distribuídos na programação dos espaços Café Literário, Território Jovem e Praça de Poesia e Cordel, os representantes das mais diversas fases, gerações e estilos da literatura baiana vão interagir com o público de maneira única. São nomes de peso que prometem enriquecer o evento através de debates, leituras públicas e sessão de autógrafos durante dez dias.

 

A participação do escritor, jornalista, roteirista e professor João Ubaldo Ribeiro, que participa pela primeira vez da Bienal de sua terra natal, a ialorixá Mãe Stella de Oxóssi e a cordelista Maísa Miranda, uma das poucas especialistas do gênero no Estado, são alguns dos muitos destaques desta edição. Também marcam presença no evento: José Carlos Capinam, Antônio Torres, Ruy Espinheira Filho, Adelice Souza, James Martins, Feizi Milani e Gessy Gesse, dentre outros.

 

Homenagens – A literatura negra e a cultura afro-brasileira são os temas que norteiam o tributo a autores que representaram a Bahia, como o historiador e ex-diretor da Fundação Pedro Calmon, Ubiratan Castro. Para marcar a ocasião, batalha de MC’s, Oficina de Escrita e um bate-papo seguido de sessão de autógrafos com o ator e escritor Aldri Anunciação, vencedor do Prêmio Jabuti na categoria Juvenil com a obra “Namíbia, Não!”.

 

Confira os principais autores baianos participantes da 11° Bienal do Livro Bahia:

 

Adelice Souza – Formada em Comunicação e Direção Teatral, a doutoranda em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) é autora de quatro livros publicados: três de contos e um romance: “O homem que sabia a hora de morrer”, fruto de um projeto contemplado pela Bolsa Funarte de Estímulo à Criação Literária e pela Fundação Pedro Calmon, no edital de Apoio à Edição de Livros de Autores Baianos. Como dramaturga, escreveu cinco textos para teatro, com três já encenados e dois inéditos. Já na área de Direção, assina nove montagens teatrais.

 

Antônio Risério – Antropólogo, poeta e ensaísta, participou de movimentos estudantis e de contracultura. Implantou a televisão educativa, as fundações Gregório de Mattos e Ondazul, além do hospital Sarah Kubitschek, na Bahia. Participou ativamente do projeto para a fundação do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, e escreveu os livros “Carnaval Ijexá, Caymmi: Uma Utopia de Lugar”, e “Uma História da Cidade da Bahia”, dentre outros.

 

Antônio Torres - Nascido em Sátiro Dias, no sertão da Bahia, foi jornalista em Salvador e São Paulo, onde se tornou redator de publicidade, atividade à qual se dedicou também em Portugal e no Rio de Janeiro. Estreou na literatura em 1972, com o romance “Um cão uivando para a Lua”, considerado pela crítica a revelação daquele ano. Seus livros, que passeiam por cenários rurais urbanos e da História, têm várias edições no Brasil e traduções em diversos países como Argentina, Cuba, Estados Unidos, França, Espanha, Alemanha, Itália, Holanda, Inglaterra e Israel. Seu romance “Essa terra” está em processo de tradução na Bulgária, Albânia e Vietnã.

 

Feizi Milani - Conferencista Internacional, Escritor, Professor Universitário, Empreendedor Social e Médico. Com o Instituto Nacional de Educação para a Paz e os Direitos Humanos (IMPAZ) organiza oficinas para adolescentes e jovens em torno dos temas da ética, paz e cidadania. O IMPAZ prioriza o combate à violência doméstica, de gênero e das ruas com base em um modelo de prevenção com ênfase em valores como paz, diversidade, respeito, justiça, solidariedade e empatia.

 

Gessy Gesse – Considerada uma das estrelas do Cinema Novo, também é conhecida como a musa baiana de Vinícius de Moraes. Foi esposa do artista e lançou, em 2013, a obra “Minha vida com o poeta”, em que detalha sua experiência e outras particularidades ao lado do poetinha. Atualmente, Gessy Gesse trabalha como produtora cultural.

 

João Filho – Poeta e escritor, foi revelação da Feira Literária Internacional de Paraty (FLIP) em 2005. Escreveu os livros de contos ‘Encarniçado’ e ‘Ao longo da linha amarela’. Participou da Primavera dos Livros em 2003 (Rio-São Paulo) e do Rumos Itaú Cultural em 2004, 2007 e 2011. Tem contos publicados nas antologias: Contos sobre tela (Ed. Pinakotheke, 2005); ‘Terriblemente felices’. ‘Nueva narrativa brasileña’ (Emecé Editores, 2007, Argentina); ‘Travessias singulares’ — Pais e filhos (Ed. Casarão do Verbo, 2008) ‘90-00: cuentos brasileños contemporâneos’ (Ed. Copé, 2009, Peru); Geração Zero Zero, fricções em rede (Ed. Língua Geral, 2011). Dono de uma prosa inventiva e visceral, o autor mescla experimentação linguística, violência urbana e metafísica, tendo sido comparado a Guimarães Rosa e Graciliano Ramos.

 

João Ubaldo Ribeiro - Bacharel em Direito pela Universidade Federal da Bahia, jamais chegou a advogar. Pós-graduado em Administração Pública pela mesma universidade e mestre em Administração Pública e Ciência Política pela Universidade da Califórnia do Sul, João Ubaldo Ribeiro é um dos mais destacados escritores do país. Desde 1993, ocupa a cadeira de número 34 da Academia Brasileira de Letras e recebeu o Prêmio Camões de 2008, a maior premiação para autores da língua portuguesa. Sua formação literária teve início ainda nos primeiros anos de estudante e foi um dos jovens escritores brasileiros que participaram do International Writing Program da Universidade de Iowa.

 

José Carlos Capinam – Nascido na cidade baiana de Esplanada, é considerado um dos grandes letristas de sua geração. Poeta desde a adolescência, mudou-se para Salvador aos 19 anos, onde iniciou o curso de Direito na Universidade Federal da Bahia e integrou o movimento tropicalista no final da década de 60. Após um período em São Paulo, voltou à Bahia para cursar medicina e até chegou a exercer a profissão, mas sem deixar as composições de lado. Compôs com Gilberto Gil o clássico “Soy Loco por Ti, América”, e integra o histórico disco “Tropicália” de 1968, ao lado de Caetano, Gil, Mutantes, Gal Costa, Tom Zé, Rogério Duprat e Torquato Neto.

 

Jotacê Freitas - Nascido em 1964 em Senhor do Bonfim, adotou a capital baiana como moradia e trabalhou como fiscal da prefeitura na Feira de São Joaquim. Cursou Letras na Universidade Federal da Bahia, onde começou a pesquisar a literatura popular. A partir daí, passou a admirar o cordel e a fazer a sua própria produção. Atualmente, tem mais de 80 cordéis publicados onde aborda vários temas que transcorrem por temáticas educativo-instrutivas, políticas, informativas e históricas como “Cuíca de Santo Amaro, o tal poeta desbocado!”. Como professor e palestrante, exercita a prática de ensinar a escrever cordel.

 

Mãe Stella de Oxossi - Stella de Azevedo dos Santos é a primeira mulher negra e mãe-de-santo a assumir o posto de "imortal" pela Academia de Letras da Bahia (ALB), onde foi eleita por unanimidade em 2013. Mãe Stella ocupa a cadeira 33, cujo patrono é o poeta abolicionista Castro Alves. O último imortal a ocupar o assento foi o historiador baiano Ubiratan Castro. Enfermeira de formação, doutora honoris causa da Uneb e articulista do Jornal A Tarde, Stella tem seis livros publicados na área do candomblé.

 

Maísa Miranda – Está entre as poucas cordelistas da Bahia. É Mestra em Literatura, nascida na região de São Felix, recôncavo da Bahia. Sua primeira produção foi o “ABC da Ribeira”, contemplada do alto da Colina Sagrada, fazendo referencia ao bairro da Cidade Baixa de Salvador, lugar de onde Maísa guarda grandes recordações e que hoje desenvolve trabalhos com a linguagem poética do cordel na escola publica Costa e Silva onde leciona.

 

Nadya São Paulo - É formada em Gestão e Design de Moda pela UNIFACS e trabalhou como bancária. Tem grande paixão pelas artes em geral e desde criança é leitora voraz dos livros de suspense e policiais. A partir daí surgiu um grande desejo de criar suas próprias histórias, dentre elas o romance Morte no Litoral: Um crime quase perfeito e Assassinato no Baile de Debutantes. Em 2010, a autora foi contemplada no Edital de Apoio à Edição de Livros de Autores Baianos pela Secretaria de Cultura da Bahia, através da Fundação Pedro Calmon, com o romance O Mistério da Casa na Praia.

 

Roberval Pereyr – O poeta baiano nasceu em Feira de Santana em 1953 e é um dos mais ativos militantes da poesia no país. Cofundador da revista Hera, junto com o poeta Antônio Brasileiro, é professor de literatura na Universidade Estadual de Feira de Santana. Além de participar em diversas antologias, Pereyr publicou cinco livros de poesia: “As roupas do nu”; “Ocidentais”; “O Súbito Cenário”; “Concerto de Ilhas”; e “Saguão de Mitos”, e ainda tem inédito o volume “Nas Praias do Avesso”.

 

Ruy Espinheira Filho – Nascido em Salvador, cresceu em cidades do Sudoeste baiano. De volta à capital, ingressou no grupo boêmio capitaneado por Carlos Anísio Melhor. Graduado em Jornalismo, mestre em Ciências Sociais e doutor em Letras pela Universidade Federal da Bahia, também acumula o título de doutor honoris causa pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, UESB. Nos anos 60, começou a publicar na revista Serial, criada por Antônio Brasileiro. Colaborou ainda com o Pasquim, como correspondente na Bahia, e foi contratado como cronista diário do Jornal da Bahia. É membro da Academia de Letras de Jequié (BA) e da Academia de Letras da Bahia. Ao longo de sua carreira, publicou 18 livros de poemas. Suas obras foram incluídas em diversas antologias no Brasil e no exterior (Portugal, Itália, França, Espanha e Estados Unidos).

 

Victor Mascarenhas – Escritor e roteirista é autor de “Cafeína”, livro de contos vencedor do Prêmio Braskem Cultura e Arte. Em 2011, foi um dos finalistas do Prêmio OFF Flip e lançou seu segundo livro: “A insuportável família feliz”. Em 2013, lançou seu primeiro romance: “Xing Ling – Made in China”. No cinema, foi um dos roteiristas do longo metragem “Esses moços” (2004) e teve um dos seus contos, “Leão Marinho”, adaptado para as telas pela Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia em 2010.

 

Sobre a Fagga | GL events Exhibitions

Com escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Bahia, a Fagga l GL events Exhibitions é uma das maiores empresas em promoção e organização de feiras do país, responsável pela realização de mais de 20 feiras anuais. Subsidiária do grupo GL events Brasil, operação brasileira de uma das maiores empresas mundiais do ramo de eventos, a francesa GL events, a Fagga soma mais de meio século de experiência.

Desenvolvido por: Be!Interactive